function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")
Powered By Blogger

domingo, 24 de abril de 2022

Minha ternura

 Permanentes  ressalvas a desativar escolhas

e a descortinar o amargor desta saudade

que entrelaça amores, cores e

valores que eternamente partilho, 

numa paixão mimetizada pelos caminhos

que erro, pelo desatino afora.


Neste silêncio que  minha  alma devora,

e em minha garganta se cala,

exaspero a necessidade de expressar

as conjugações do  verbo amar,

na adstringente   mescla

entre o cósmico e cosmético jeito

de ao teu lado, ficar.


                                  J R  Messias

quinta-feira, 21 de abril de 2022

Sanha


 Onde encontravas tu,

declinante amor deveras perdido

nos desvios e caminhos triviais

amargamente torturantes de um destino

convincente e não retilíneo,

alardeado pelo atávico meio de descolorizar

as magníficas lembranças que deixastes 

pelas esquinas e cruzamentos dessa cidade pluvial

e tropical locupletada de muita saudade de ti,

amor nunca trivial, muito pelo contrário,

sanguíneo e carnal.


                                                                    J R  Messias

segunda-feira, 21 de março de 2022

Primazia


 Como num jogo de espera,

faço o movimente que 

ela me permite (ou tolera),

no  limiar de um objetivo,

um limite monocrático,

inspirado em (minhas) regras, 

delimitadas pelos desejos do coração,

trincheira cândida 

a ser transposta na jogada ilógica,

e na palavra exata, que roça a pele

e incendeia a libido,

liberando teu cheiro que inebria as lembranças,

faina que dedico com zelo,

no acariciar de teus pubianos pelos,

no labirinto desse medonho destino confesso,

atravessando caminhos, avessos

ao teu perdão cáustico, mas elástico,

como a extensão métrica e mórbida

das paixões incompreendidas

em corações sequiosos

de uma harmonia sorvida 

sapientemente, pelo brilho

de teu olhar e da saliência 

sugestiva de teus mamilos.


                                      J  R  Messias

domingo, 9 de janeiro de 2022

Fragmentos


Fragmentado pelas lâminas desta saudade,

fotografo teu passar elegante, como se pisasses 

sobre as brasas desse meu profundo querer, a atear, 

em meus desejos, o fogo de teu negro olhar, 

a observar  o êxtase inebriado do meu,

que evitas, dispersiva, num intolerável e simulado desdém

que revelas, neste vazio esperar, bordejado de sonhos

e de poesias, que disperso-os, como balas traçantes,

a iluminar os céus deste meu anseio,

crepuscular e inescrupuloso, que margeia as dobras

deste sentimento e escoam por entre as fibras

de meu coração, idólatra que sou de tua imagem,

que energiza-me, nos poucos lampejos de tua miragem,

que rastreio, pelas ruas e esquinas, 

deste meu desejo.



                                               J R     Messias

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Candura

 Atravessei tua vida,

conduta solene e ousada,

eterna travessura minha,

a absorver tal ternura,

caricatura de meu atávico 

semblante sarraceno.

Recorrente nas paixões

silenciosas, urbanidade rumorosa

trespassada no fulgor de um beijo

roubado, seguimos marcados pelo acariciar 

de nossas palavras, 

ocultas, vazias e vadias, 

a transitarem pela memória

indelével, que escoa pelas 

sarjetas do tempo, escoriada

pela saudade arcana, só por nós

decifrada, em conjecturas

arabescas, marcadas pelo 

equinocial entardecer de nossos 

desejos, quando nidificamos 

nossos perfilados sentimentos,

enclausurados pelo tempo veloz.



                                              J R Messias

quinta-feira, 11 de março de 2021

Deziro

Na penumbra silenciosa

deste cômodo vazio,

por onde serpenteia uma solidão

a carregar em suas espáduas, 

todos os amores não correspondidos,

como se fossem epístolas, guardadas

no cofre selado de meu coração,

remexo em memórias,

desnudas por esta saudade pranteada,

como se fosse uma incômoda paixão,

esfacelada pelo tempo,

a cingir com seus lamentos,

o tempo escoriado desta solidão.

Este saudoso amor,

que não mais vagueia pelos avarandados

de minha memória e nem navega

pelos meandros de meus desejos,

um corpo encantado e despido

pelo vazio das esquinas do tempo

em eterno voo pelas veredas desta vida,

contidas em cada alvorecer.


                                               J  R  Messias

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Waiting

A passagem de um  tempo, 

vivido mas não partilhado,

ainda persiste nesta urgência

plena de um dia te amar.

Esta premência, traz recordações

de tua doce e lírica imagem,

ainda que hoje represente

uma luz tênue de uma brasa 

amortecida pelo tempo, 

do que um dia foi fogueira de desejos, 

pelo teu corpo maturado e marcado 

pelo inequívoco passar dos anos. 

Teus relevos e tons, ainda vertem de mim,

o leite tantas vezes derramado,

pela fervura emoldurada por muros

que o mundo nos impôs.

A tenacidade dos anos idos,

preencheram-me de um amor

segredado e, embora  desolado,

ainda insiste, sonha e se dobra

pelos encantos sublimes deste sísmico amor desesperado  e paciente.



                                           J  R  Messias