function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Caminho

No meu cativo vivenciar,
Resultado de imagem para embriaguez do amorela tornou-se a chave do 
mais puro segredo, capaz
de adentrar nessa minha 
criptografada agonia e,
como uma clave de sol,
dúbia e sistematicamente,
escancarar os pórticos
onde aprisiono meus
abissais sentimentos
e despejar, como se uma 
super nova fosse,
todo o brilho que 
aquece as paixões,
excita as retinas e,
numa afetuosa sinergia, 
desfibrilar o descompasso rítmico 
que existe entre meu enclausurado
desejo e a ternura deste teu abraço,
no qual, acoplados, destilamos,
em nossos corpos, o gozo, o licor,
síntese desse nosso embriagado amor.


                                    J  R  Messias

8 comentários:

  1. Lindo demais!! Parabéns uma boa maneira de iniciar um fim de semana. ;-)

    Beijinhos e um bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Messais!

    Tudo bom? Aqui, tudo andando. Que remédio!

    Cada vez que acedo teu blog, olho o layout e fico arrepiada e até enojada, para além de assustada com aquele bicho/inseto, não sei. Qual o nome dele?

    Hum! Que caminho secreto. Uma mulher. Poema mto rico semanticamente e olha que há palavras, que desconheço o significado. Vou pegar o dicionário (rs).

    Parece que tudo vai começar de novo, e o vosso amor jorra por dentro e fora de vocês. Mto bom!

    Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. O inseto? um inofensivo gafanhoto, no pé de erva
    cidreira em meu quintal.
    Quanto ao uso do dicionário, lembre-se de que meu contexto é equatorial, úmido e bastante chuvoso, daí, talvez, esteja a explicação pela qual dizes, carinhosamente, que "meu amor jorra" (rs).
    Grato pelo carinho de sua visita e beijos no teu Céu.

    Ps Teus textos estão cada vez mais carregados de doses pantagruélicas de erotismo, sensualidade e prazer (pelo menos no que li, até agora. Exagero??)

    ResponderExcluir
  4. Ah, como tenho medo de gafanhoto, a que tu chamas inofensivo. E há bichinhos desses no teu quintal? Nossa! Eu vivo num apartamento e por aqui não há desses bichos.

    Ah, ok. Entendi. Vives na linha, num contexto equatorial, daí a humidade, a chuva, enfim, o jorrar de sentimentos.

    O dicionário era para eu entender algumas palavras, que tu escreveste, de forma tão erudita (rs)!

    PS: ainda bem! A intenção é mesmo essa. Bisous.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erudito??? Em mal sei o b+a = bá!!! Gafanhotos são herbívoros e comestíveis (meus antepassados árabes costumam comê-los empanados ou com cobertura de chocolate).
      Com relação a minha localização geográfica, não esqueça: "não existe pecado do lado de baixo, do equador..." (Chico Buarque).
      Beijos no teu Céu.

      Ps. quer dizer que não exagerei!!! Continue maravilhosamente provocante e competente.

      Excluir
  5. Que "minino tão mentiroso" (rs)!
    Teus antepassados eram árabes. De que país, zona? Eles comem tudo o que mexe (rs) e mulher que se bamboleie, ah, tem "morte" certinha (rs).

    OK. Já entendi. Do lado de baixo desse círculo máximo, chamado Equador, que divide a terra em duas partes iguais, não existe pecado, apenas virtude.

    PS: Messias, sou um moça/mulher sensatamente e competentemente provocante e sei até onde devo ir. Não sou "Sapin de Noel" (rs), em matéria de pulseiras, mais relógio, mais colares, mais, mais, mais, não, mas gosto de um acessório ou outro. No meu caso, uso argolas grandes nas orelhas e lábios pintados. Maquilhagem, sempre leve. Como sou europeia, não sou, FELIZMENTE, mulher pera. Equilíbrio entre seios e anca. Não gosto de decotes, nem roupa curta. Prefiro transparências e roupa comprida com aberturas "inocentes" (rs).

    ResponderExcluir
  6. Desculpe-me Céu, só estou a ler, agora, esse teu post.
    Vamos lá! Meu avô, É originário de Damasco (Síria) e veio para o Brasil aos 5 anos de idade, lá por volta do início do século XX. Na época como Síria e Líbano faziam parte do império Otomano (império turco, extinto após a I GM), eram e são chamados até hoje de "turcos" e de Sírio/libaneses..
    Os árabes são refinados (cultura milenar), mas também apreciam coisas como gafanhotos etc.
    Quanto as mulheres, aí a coisa pega!!Acho que tá no genes, essa tendência de gostar de mulheres com bambolê na cintura (tua definição)e de corpos bonitos (a herança africana, permite isso aqui), além dos belos e enormes olhos das mulheres árabes.
    Enfim, comemos tudo que se mexe?? Não necessariamente e pode excluir homens, gays, locomotivas, avões etc: o resto, "tem jogo", afinal, não existe pecado mas só virtudes (segundo sua percepção), abaixo do Equador (rs, rs, rs).
    Quanto ao detalhismo em definir sua pessoa, se eu fosse um pecaminoso, um daqueles que não respeitam "os sagrados laços do matrimônio" e outros que tais, a moça estaria na lista do "se mexe ? então de come"
    Claro que o que acabei de escrever é pura grosseria e machismo de minha parte, perdoe-me foi só para não perder a piada. Enfim, uma bela mulher madura, cultura europeia, corpo fisicamente equilibrado, que adora provocar pensamentos indecentes em nós, pobres e apaixonados homens, mas de gosto refinado e exigente, uma mulher em sua plenitude.
    Se exagerei em algum detalhe, desculpe-me.
    Beijos no teu Céu

    ResponderExcluir