function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

quarta-feira, 30 de abril de 2014

Outono


Amanhece, nesta vida incolor
ainda repleta de lembranças e emoções
na busca insone
de uma paz que, burlesca, insiste
em contrariar meu renovado coração.
Chega o entardecer como um apanágio
de prenúncios e desilusões, vilipendiando 
meus sonhos quase reais
e remete a um despertar 
dos sentidos macerados pelo cotidiano.
Anoitecer, esperanças agora jazem
nas possibilidades dos sonhos
de encontrar no acalanto da cama
a pródiga presença  de teu corpo
para dar ao meu amanhecer
o prazer do teu amado conforto. 


                       J. R. Messias


Imagem:Picasa/jrmessi 


terça-feira, 29 de abril de 2014

Capsicum chinense


Vem, que te permito incendiar meus sentimentos,
Vem, que desejo que sejas meu fogo 
o ardor que queima minhas mãos 
e, inadvertidamente, põe lágrimas infinitas em meus olhos, num pranto duradouro.
Vem, aquece minha boca com teu beijo incendiário e adentra minhas narinas com teu odor inconfundível e  marcante de fêmea saborosa, que dá um tempero todo especial dessa minha paixão por ti, paixão esta, que tu, minha gostosa musa, retribuis de forma termogênica, ajudando a manter a forma e a combater, colesterol, má digestão e tantos males.
Por isso declaro meu amor e tesão eterno por ti,
gostosona e persona mui grata, Pimenta de Cheiro.


J. R. Messias


quinta-feira, 24 de abril de 2014

Sinergia


                           Existem amores que nos dão                           sensação de confinamento
onde até as linhas tênues e convergentes
da fronteira amorosa, transparece,
                                   em seus limites como algo                                 nebuloso e inóspito.
Navegar de um ponto a outro dessa paixão
é um exercício geográfico e psicológico
um mergulho onde o fôlego amoroso
é o limite  relativo para se permanecer
em meio as dificuldades e antagonismos .
A bidimensionalidade das relações amorosas
em seus movimentos sinergéticos, induzem
a estranhamentos sensoriais/perceptivos
de atração e repulsão numa autêntica 
esquizofrenia típicas dos amores pós-modernos,
urbanos e tecnologizados, permeados por uma fina 
membrana translúcida mediando duas realidades,
que só querem, pura e simplesmente, amar.


J. R. Messias



terça-feira, 22 de abril de 2014

Elucubrações poéticas


A convergência da poesia em nossas vidas, assemelha-se a uma síntese de incisões originalmente criadas e recicladas pelo tempo, refletindo uma desproporção desprovida de uma  lógica mecanicista e/ou determinista, mas que são realocadas constantemente num processo de transformações estéticas com consequentes desdobramentos líricos/poéticos.
É por isso que o exercício de pensar e criar poesia, nos coloca sempre num limbo, num entremeio, numa espécie de limiar  que pode estar em qualquer fragmento sentimental que funciona como se fosse um bando de fendas que permite-nos penetrar na obscuridade que envolve a intimidade e a emoção tanto do coração quanto da alma. Explorar estas secretas passagens, cria em nós, a possibilidade que disciplina nosso linguajar, nossa estética, além de nortear nosso pensar, no sublime e maravilhoso ato de 
versejar.


                                                J. R. Messias

Imagem: Picasa/jrmessi

Images&Visions: O Poeta, a Moça e o Violão

Images&Visions: O Poeta, a Moça e o Violão: © Foto de Manoel Soares/Agência O Globo. Clara Nunes, Vinicius de Moraes e Toquinho. Rio de Janeiro, 1973. Em 1973, a cantora Clara Nu...

Limitações


Nada melhor que amar e ser amado, ter afeto por alguém, seja esposa, marido, amiga etc. Tais sentimentos são  imprescindíveis para qualquer pessoa principalmente em uma sociedade cada vez mais egoísta e individualista.
Mas amor e amizades mútuos, não nos concede  o direito de invadirmos a privacidade de qualquer pessoa.  por maior que seja esta amizade ou até mesmo intimidade. Devemos ter em conta que certos assuntos, temas e segredos, são deveras íntimos e pessoais e exigem de nós certos limites de respeito.
Existem certas intimidades e segredos que só podem ser reveladas com maturidade segurança e confiança.
Como disse um religioso em uma homilia, "o nosso território (corpo e alma), é santo e sagrado", logo, não permita que um herege qualquer o profane.


                                                        J. R. Messias 

                                                           Imagem: Picasa/jrmessi

Ofertório

Confio a ti
minha alma ferida 
e repleta de pecados.

Concedo a ti
meu corpo cansado 
e marcado pelo tempo.

Trago pra ti
meu amor carente
inesgotável e atento.

Disponho a ti
meu carinho, num afago
profundo e profuso.

Ofereço a ti
meu abraço pungente
envolvente e contente.

Transfiro pra ti
toda essa saudade desmedida
açoitada e urgente.

Dou a ti
minhas oferendas
como prova de que sempre
estarás comigo onde estiver,
onde convier e
em que tempo for.


                 J. R. Messias

                                                       Imagem:calmeiro-matias.blogspot.com

Prestidigitadora




Essa busca constante de traduzir-te
e ao traduzir-te, admirar-te
e ao admirar-te, emocionar-me,
trafega nas congestionadas vias
deste, sempre, apaixonado coração,
carinhosamente afrontado
por uma quotidiana abundância
de tuas letras, amores e emoções 
que, de tocaia, em teus versos,
tocam-me fundo nos sentimentos
ao traduzirem como uma prestidigitadora 
poética, toda a obscuridade 
de sentimentos guardados
nos porões do esquecimento
e no sótãos do arrependimento
numa catarse afetuosa que derrama e desfaz
tudo aquilo que foi tormento.

                          J. R. Messias



segunda-feira, 21 de abril de 2014

Perdas e danos



A apatia desmedida
de uma busca quase estática 
de um destino replicante,
estagna-se na sucessão
dos desejos repletos
de escombros
em minha memória,
desgastada pela carência
de imagens que induzam 
a retro-visão de momentos
sacramentados por lembranças,
"colorizadas" pela felicidade
efêmera de um caminhar
partilhado e pontuado
pela unicidade de dois seres
em cordial conexão,
traduzirem-se na mais pura essência
de um amor, hoje, estornado das lembranças,
exaurido de sentimentos e volatilizado pelo tempo
que encobre todo o querer em uma 
espessa camada de desprezo e abandono
de tanto apego.

                               J. R. Messias

sábado, 19 de abril de 2014

Eterno...



Quero muito o teu abraço
não um abraço qualquer
simples e fraternal
mas aquele que me envolva
excite e comova.
Quero muito o teu beijo
não um beijo qualquer,
selinho ou roubado
mas um beijo apaixonado
recíproco bem acoplado.
Quero muito decifrar teu corpo
seja no escuro ou com os olhos vendados
para com meu tato, teus contornos sentir,
para com meu respirar, teu olor sorver e
para com meu paladar, teu íntimo perceber.
Quero descobrir-te em cada detalhe
perfeito ou não, pois o que importa
nas fronteiras do amor,
é dispor à mulher amada,
toda a minha sincera paixão.


                    J. R. Messias


Imagem:  www.angelapaulalima.net

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Política

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/04/aecio-neves-lenin-e-coerencia-historica.html?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+PragmatismoPolitico+%28Pragmatismo+Pol%C3%ADtico%29

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Amargo



Trago em mina alma
as chagas de tua ira
de onde destilo
para seu bel prazer
esta amaga poesia.
vingar o passado foi insuficiente
infligindo dor e lamento
 a esta paixão latente
que, mesquinha, praticas ainda no presente.
Tens profunda mágoa e rancor
que para quem ama, rima com a dor
por que pontes e navios queimador foram,
sobrando apenas o infinito desamor.
Te amei, na loucura dos segredos
te afaguei, com carinho, em meus sonhos
te desejei na eternidade de uma vida
e hoje, a página dessa paixão, eu dobrei.


                          J. R. Messias




segunda-feira, 14 de abril de 2014

Lépida (para Lu Nogfer)



Tens a maciez
do mais puro fio
de algodão egípcio

Tens a lucidez 
do mais sublime filósofo
por sua inteligência e altivez

Tens toda a eloquência
de quem, pela palavra, alcança
o íntimo com  maestria e languidez

Tens todo o brilho
de um olhar brejeiro e aventureiro
de quem, para amar, não existe empecilho.


                                       J. R. Messias


Delimitações.


Prenhe de uma paixão externada
desenho em contornos poéticos
silhuetas geométricas, advindas
dessa inculta métrica onde  tento
os sentimentos expressar
plácidos desejos delineiam 
meu querer em tortuosas rimas
onde tento driblar o íntimo
de uma assimetria carinhosa
e de uma dissonância amorosa
Os pendores morais , traçam seus limites
e fronteiras, onde o profano tem
sua ressonância e a improbidade do amor
impõe a dureza da incompreensão,
da negação da liberdade  para qualquer aventura
onde o coração é o único beneficiário.


J. R. Messias

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Portais.


Pelas esquinas do coração
e pelas avenidas da alma
passivamente, vejo entrar
essa delicadeza juvenil
que terna, zelosa e
caprichosamente
através de versos, rimas e métricas,
blasfema contra a solidão,
ao abandono e encontra eco,
na solidez de sua poesia
regada de amor e paixão,
onde busca exorcizar 
a dor tirana e profana
que trespassa corações e almas, 
nessa lida quotidiana e versejante
que depura seu íntimo,
numa assepsia verbal
que deleita e dá prazer
aos esconjurados pela solidão,
aos carentes de sonhos
e aos prisioneiros de uma letargia amorosa,
indômita e cruel.

                                 J. R. Messias

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Moaning


Busco nas armaduras
do corpo e da alma.
a resistência para transpor
as torpes muralhas da solidão.
Esta fragilidade, que esgarça os sonhos
e traz  o desprezo cármico de seres dolentes
margeia as carências e adentra na essência deste vazio
onde, por osmose poética, atinge o íntimo de nós
de forma intensa, serena e atroz 
transpondo limites e impondo ao coração
lamúrias já a tempos esquecidas,
neste vagar dúbio entre a dor e o amor
tendo a dor como eterna companheira
e o amor na cíclica insistência de premiar a paixão
com as solenes agruras do desamor.


                             J. R. Messias

terça-feira, 8 de abril de 2014

Simplesmente Encantos

Simplesmente Encantos: Tão próximos,concomitantemente,distantes!Saiu do c...: Tão próximos, concomitantemente, distantes! Saiu do controle,  nos perdemos. Se soubesse juro que explicaria. Tudo tão confuso preciso p...

Hidrovias na Amazônia


   A ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), encomendou par a Universidade Federal de Santa Catarina, um projeto piloto preliminar sobre a hidrovia Araguaia-Tocantins.  Tal proposta incluiria a criação de terminais hidroviários nos municípios de Conceição do Araguaia, São Félix do Xingu, Breu Branco e Baião.
   A preocupação pela criação desta hidrovia é a de demonstrar que o sistema hidroviário "não é apenas uma opção, mas o melhor caminho para o movimento de cargas no Brasil" (Jornal Diário do Pará).
   A tabela abaixo, justifica esta afirmativa:

                               Custo de 1 ton. de carga transportada

                                Ferrovias -   US$ 5
                                Rodovias  -   US$ 22
                                Aerovias  -    US$ 67
                                Hidrovias -   US$ 1

    Os estudos indicam que o momento exige, além de custos menores no transporte de cargas, menores impactos no meio ambiente e as hidrovias causam menos menos impactos ambientais e menores custos nos transportes.  Além do mais, novas fronteiras agrícolas e minerais na Amazônia, exigem novos sistemas de embarque e desembarque de produtos e o transporte hidroviário é o mais viável.

  A bacia do Araguaia-Tocantins, abrange estados do Pará, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão e Goias,
com cerca de 767 mil Km2  de rios, envolvendo o Araguaia, Tocantins e o rio das Mortes.  Pelo projeto piloto, em 2030, a movimentação de cargas por este sistema , seria de 48 bilhões de toneladas/ano (soja e minério de ferro).

  O cenário econômico que define a importância desse sistema hidroviário, inclui o início das atividades da ALPA (Aços laminados do Pará), em Marabá, com potencial de produção de cerca de 2,5 milhões/ton. de lâminas de aço (1,85 milhão para exportação).  Outro elemento importante é a construção do terminal portuário na cidade de Baião com projeção de carga de 500 mil toneladas/ano
de produtos florestais, leite, óleos etc, com o aumento dessa capacidade para 800 mil toneladas em 2030.

  Segundo este projeto piloto, a redução dos custos logísticos e de transportes, na Amazônia, com a implantação da hidrovia, será de R$ 2 bilhões/ano.  Do jeito que está hoje, projeta-se um custo operacional, se comparado com a existência da hidrovia, apresentaria tais valores:

                                               Sem hidrovia                    Com hidrovia
                 Custos 
                 Operacionais         2015 - R$ 7 bi                      R$ 5 bi
                                             2030 - R$ 11 bi                     R$ 8 bi  

  O governo federal vê a necessidade de melhorias no escoamento da produção nos portos do Brasil e o Pará é um dos alvos preferenciais, principalmente para a estratégia de direcionar cargas e distribuição de combustíveis no Norte e Nordeste.  As vantagens comparativas da região, viabilizaria esta estratégia.

                                                                           J. R. Messias - Geógrafo

                                Fonte: Jornal Diário do Pará (01/02/2014)

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Angelus


Pelas esquinas aleatórias
de uma viver alienante,
encontro em cruzamentos erráticos
angélicas entidades, cuja luz teima
em iluminar a escuridão de nosso abandono
e em curar a dor desse querer insano .

Teimosia capaz  de desfazer
a dormência da alma 
e a povoar nossos dias,
com a solidez de sua calma,

Espalhando pétalas pelos caminhos
traduzindo nosso quotidiano viver
em cores, harmonia e  sedução
na  incerta cartografia de nossos destinos



                                                J. R. Messias



quinta-feira, 3 de abril de 2014

Hiato amoroso


Minha solidão e carência
diluem-se na forma e conteúdo
por causa de tua presença,
totêmica, flagrante e instigante,
terminologias que descrevo, 
copioso e indolentemente
nas entrelinhas dessa saudade 
encarcerada pelo tempo 
nessa demanda tão infinita
quanto a vastidão de tua ausência
travestida pelo desprezo desdenhoso
de teu solene egoísmo,
que solapa toda a saudade 
que estoico, guardo ainda 
em meu apaixonado coração
que de ti nunca há de esquecer 
por maior que seja tua ingratidão.


                           J. R. Messias


Fonte: https://lh3.googleusercontent.com/-Eia95QfBPgA/T2ZYJ_3twYI/AAAAAAAAEX8/8ZYx0yat_6w/w105-h140-p/DSC02599.JPG

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Afago




Nesta intacta saudade de ti
teço indecifráveis sinais
que em desalinho, delineiam 
as marcas desta paixão, sufocada 
no desejo de fruir teu ser para aplacar
a sede que tenho de ti e assim
umedecer  a aridez de tua ausência.
Faço desse teu corpo, o mapa
onde esquadrinho rotas desse amor
                                     onde perdi meu norte                                      e onde busco o aporte
para retirar meu destino
das rigidez pétrea dessa dor.


                             J. R. Messias



Imagem: Google

terça-feira, 1 de abril de 2014

Assombro



Quero te dizer algo
que me assombra 
e que desnorteia o coração
algo que não vejo solução

É uma agonia despropositada
que danifica minhas expectativas
que guardo de ti, na obrigação
de uma correspondência 
semelhante

Quando amamos
este amor, por si só
já é completo
e se ele não encontra em ti
correspondência
é que o alvo, desse amor
infelizmente, não compreendi.


                            J. R. Messias