function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Xiita

Basmala





Vasto é o deserto,
que acolhe este Sarraceno querer,
que, líquido e certamente,
conduzo como caravanas,
em busca de teu Oásis,
que sacia fome, sede e desejo,
nas formas exatas,
delineadas pelos teus contornos,
fontes e flancos, a despejarem
mel, néctar e gozo, que nutrem
na proporção exata os apêndices
vascularizados dessa sôfrega paixão.


                       J  R  Messias

10 comentários:

  1. Respostas
    1. Grato pela sua amabilidade, Cidália.
      Beijos.

      Excluir
  2. Que bonito. :)


    {Hoje no nosso blogue:-Até que a vida nos separe.}

    Bjos
    Óptima Terça-feira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um descarga mezzo luxuriosa.
      Beijos, Larissa.

      Excluir
  3. Bom dia. Amei o poema
    .
    Deixo cumprimentos poéticos
    .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fugindo um pouco da temática...
      Abraços, Gil

      Excluir
  4. Ah, me sinto no Oriente, no Norte de África entre almofadas, sedas e cetins e comendo tâmaras, que adoro. Oásis e mel, um luxo dos deuses.

    Me fizeste viajar, por momentos. Si agréable!

    Bises, mon ami.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fizeste-me pensar loooonnge, Céu. Sorte tua de morar mais próxima que eu do norte africano. Pra mim bastava um camelo, uma caravana, uma tenda e uma odalisca com um "tufão nos quadris" (danger, rs, rs, rs).
      Beijos neste Céu. Au revoir

      Excluir