function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

quarta-feira, 9 de julho de 2014

No compasso


Fui surpreendido, por obra e graça 
de um rebelde Serafim que, em mim,
sua seta foi lançada, deflagrando, incontinente,
este amor que em mim esteve, tanto tempo, ausente.
Meu coração, agora, trespassado, pela precisão sagrada deste amor,
percorre milhas como se fossem feitas de rimas, para afugentar,
qualquer forma de dor.
Brindo agora, ao expurgo dessa incerteza,
que nublava de medo meu firmamento
trago, também, o antídoto contra a torpeza
e tochas flamejantes para iluminar e findar todos os tormentos.
Exato na certeza dessa paixão, que hoje me encontro,
ergo pontes, túneis e viadutos, para esse amor poder alcançar,
e com ela poder bailar, seja na suavidade de um Wagner Tiso
ou na intensidade e swing de um João Donato.

                      J. R. Messias

Imagem: www.portalmusica.com.br

10 comentários:

  1. Nossa que grandeza!!!
    Tim tim ao bom e rebelde Serafim e viva à liberdade do amor resgatado.

    Lindo dia de sol pra você doce poeta! Se não for por fora que seja por dentro, né!
    O sol hoje até que enfim amanheceu tinindo aqui pois tem chovido bastante mas não por dentro! rs

    Beijão!

    ps: Desculpe se o mesmo comentário enviou duas vezes. Espero que não.
    A net do celular está uma cooo oisa!Humph!

    ResponderExcluir
  2. Fica fria, Lu ... "Faça como o velho marinheiro, que durante o nevoeiro, leva o barco devagar..." Quando tudo regularizar, tu voltas as atividades normais.
    Beijos, Lu.

    ResponderExcluir
  3. Boa noite meu amigo.

    Ah Messias que grandiosa essa obra! Bendito Serafim e seus resgastes e flechadas e planos... rs...
    Muito lindo e doce labor, amo poemas assim, me tiram do chão, é muito intensa e gratificante a leitura, obrigada e parabéns sempre!
    Um abraço, fique bem... bjo, lu

    ResponderExcluir
  4. Grato pelo carinho, Lu. Não habituo a escrever coisas assim, confesso, mas as vezes "pinta" estas temáticas no meu inconsciente e aí, não tem jeito. E aí, aceita uma dança?
    Beijão, Lu.

    ResponderExcluir
  5. rs... Bom dia meu amigo.
    Amo dançar... Aceito sim, mas, até acho que já o fiz pra falar a verdade, quando li esta melodia poética, parabéns novamente!
    Relendo e me encantando novamente, abraço, fica bem...

    ResponderExcluir
  6. Fica assim, então. Só não esqueça que "são dois pra lá, dois pra cá."
    Beijos, LU

    ResponderExcluir
  7. Bom dia

    Gostei de visitar este espaço.
    Com um poema excelente.

    Bom fim de semana, beijo

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderExcluir
  8. Sinto-me honrado de ser alvo de sua visita e comentários, Poetisa.
    Um abraço, Cidália.

    ResponderExcluir
  9. Oi bom dia!
    Vc esteve votando no ostra da poesia, porém o seu voto só será validado com o link de seu blog. Desde já as poetisas e poetas agradecem pelo seu voto. Volto mais tarde para ler o seu texto.

    Bjsss

    ResponderExcluir
  10. Desculpe-me Célia, é falta de atenção de minha parte. Agradeço vossa presença. É sempre bem vinda.

    ResponderExcluir