function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

... reticências ... da paixão ...

... depois de alcançar teu zênite, 
Resultado de imagem para reticências da paixãona oralidade deste carinho, absorvo
todo teu licor, todo o teu vinho,
saciando-nos de tanta entrega e prazer ...

... escalo, entre beijos, amassos, abraços e carinhos,
teu marmóreo e adorado corpo de fêmea maturada,
até chegar a tua ofegante, árida e sequiosa boca para
num beijo, acoplado e desesperado, 
compactarmos nossos corpos, num imantado abraço,
partilhando torrentes de heréticos segredos inconfessáveis ... que ...
... num segundo momento de prazer, fez-me
inundar teus interiores, em ato contínuo,
até o amanhecer ...


                                   J R Messias

6 comentários:

  1. E aí, o que a gente comenta? Nada né!rs
    Intensamente lindo! Os grandes poetas não escrevem... Tatuam.
    Parabéns sempre!

    ResponderExcluir
  2. Esse aí despencou na minha mente quando estava orando...herético, não ?
    Beijos, amada poetisa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Herético ou não, fica muito inspirado quando ora, hein?rsrs

      ps. Ah! Obrigada pela citação num comentário em um dos posts anteriores... Pela parte que me toca, a honra é toda minha em ler tão inspiradores e tocantes versos.

      Beijos, amado poeta!

      Excluir
  3. Deve ser um dos efeitos da andropausa, que ao contrário de vocês mulheres, o calor vem de baixo e o nosso vem de cima.
    Brincadeiras à parte, não costumo "chover no molhado" , a mocinha emociona e faz bem.
    Um beijo querida poetisa.

    ResponderExcluir
  4. Messias, que profundidade e delicadeza.
    Amo, amo essa classe no compor, impecável.
    Parabéns!
    Um beijo, admiração e gratidão sempre crescentes...

    ResponderExcluir
  5. São estas coisas que surgem em nossas mentes quase como uma ejaculação, tem que escrever senão vira (mais um), trauma (rs rs.).
    Grato, amada poetisa pelo carinho torrencial de sempre.

    ResponderExcluir