function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Whisper

Resultado de imagem para sussurrosÉs como um talismã,
que arranca o mau augúrio 
deste infausto e desencontrado amor,
com o qual, presenteaste-me 
no apanágio deste cinquentenário viver.

Por isso, deleito-me nesta paixão 
que subjaz em uma ternura secreta,
que queima, contínua e ocultamente,
nos escaninhos de meu coração,
codificada, de tal forma que só
tu decifras em meus gestos,
meu sorriso e em meu olhar. 



                      J R Messias

7 comentários:

  1. intensos versos apaixonantes e apaixonado!! Adorei poeta,seu blog continua muito lindo, parabéns

    ResponderExcluir
  2. D. Nara! você, as duas Lu's (Nogfer e Mansanaris), são a prova de que a inveja (minha, é claro), não mata e nem prejudica, pois ainda estou vivo e vocês, amadas poetisas, cada vez melhores.
    Gracinhas a parte, agradeço o carinho de sempre, N.
    Boa e abençoada semana.

    ResponderExcluir
  3. "Sorriso que adentra os olhos." Eis a chave de ouro ao paraíso!
    Lindo demais, novamente sensual com extrema classe, quanto gosto por letras assim!

    *Gratíssima(?) pela parte que me toca no comentário para a Nara.

    Meu carinho

    ResponderExcluir
  4. Menina, esse negócio de se apaixonar depois dos 50 (como diria Drummond, "na perigosa curva dos cinquenta"), nos deixa mais sensíveis e cheios de lirismo (que frescura, não?). Mas gosto de ver o resultado, me faz bem, embora concretizá-lo seja "a chave de ouro ao paraíso".

    Um beijo amada poetisa Lu.

    ResponderExcluir
  5. Adoro talismã, esse seue stá maravilhoso, parabéns poeta

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Grato, linda Nara. Paixões "mezzo" centenárias são tão sedutoras e mágicas como um a talismã.
    Um beijo, querida poetisa.

    ResponderExcluir