function click() { if (event.button==2||event.button==3) { oncontextmenu='return false'; } } document.onmousedown=click document.oncontextmenu = new Function("return false;")

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Amargo



Trago em mina alma
as chagas de tua ira
de onde destilo
para seu bel prazer
esta amaga poesia.
vingar o passado foi insuficiente
infligindo dor e lamento
 a esta paixão latente
que, mesquinha, praticas ainda no presente.
Tens profunda mágoa e rancor
que para quem ama, rima com a dor
por que pontes e navios queimador foram,
sobrando apenas o infinito desamor.
Te amei, na loucura dos segredos
te afaguei, com carinho, em meus sonhos
te desejei na eternidade de uma vida
e hoje, a página dessa paixão, eu dobrei.


                          J. R. Messias




6 comentários:

  1. Querido poeta,

    Há páginas que são tão amargas, que precisam ser dobradas e muitas vezes arrancadas, até.

    Adoro essa tua intensidade poética!

    Abraços e meu carinho.

    ResponderExcluir
  2. Raramente lembro dessa moça, mas quando a lembrança vem, é desse jeito. Já devia ter arrancado essa página, mesmo.
    Grato pelo conselho, linda Lu

    ResponderExcluir
  3. "Lamentar uma dor passada, no presente,é criar outra dor e sofrer novamente."William Shakespeare

    ResponderExcluir
  4. Essa herança melancólica lusitana, é a justificativa para essa lamentação além, é claro, um ótimo mote para outros poemas, não tão dolorosas como esta.
    Grato pela visita, caro poeta multimídia.

    ResponderExcluir
  5. Imagine meu querido! Quem sou euzinha para aconselha-lo?rs
    Mas se precisar arrancar a página, guarde longe dos olhos mas a altura de sua inspiração, pois da saudade do poeta, brotam versos incríveis!
    Será que alguém já falou isso e eu estou repetindo?rs
    Mas é verdade, né?

    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. É por isso que guardo estas doloridas motivações pois dão-me a de oportunidade de receber tão carinhosos conselhos como os teus.
    Um beijo, linda Lu

    ResponderExcluir